Vamos falar do cãozinho Pituco?

quarta-feira, julho 26, 2017

Estreiamos o #ContosdaToca aqui no blog com uma curiosidade sobre um cãozinho muito especial e independente: o Pituco.

Certamente você ouviu falar ou se deparou com o vídeo de um cachorro indo buscar a própria ração no pet shop. Não? Pois bem, seu nome é Pituco e, por trás desse mais novo fenômeno da internet, há uma emocionante história.


O cachorrinho vira-lata, de 12 anos, é habitante de Paraí, cidade da região nordeste do Rio Grande do Sul e faz parte da família da aposentada Rosângela Trevizan, de 55 anos, ele é cego e percorre sozinho o trajeto em busca de sua ração há nove anos. Sua dona conta que o hábito de Pituco começou quando, certa vez, os dois foram ao pet shop comprar ração e o animalzinho abocanhou o pacote e correu para casa. "A partir daquele dia, ele chegava lá, as meninas entregaram a ração e ele trazia na boca para casa".


A dona do pet shop, Ana Paula Pian, de 29 anos, diz que Pituco já é cliente VIP e que a ideia de filmar o trajeto do animalzinho de volta para casa foi para ter lembranças dele, já que está bem velhinho. "Resolvi filmar e publicar o vídeo para termos uma recordação do Pituco antes que ele se vá".


O vídeo é um sucesso tão grande que foi notícia nos maiores portais do país e de fora dele. Até mesmo a rede de televisão BBC, de Londres, postou a trajetória de Pituco em sua página oficial. O resultado não poderia ter sido diferente: Pituco é uma febre na internet, contando com mais de 15 mil compartilhamentos!


Mas não vai pensando que a fama do Pituco é recente. Antes da publicação do vídeo nas redes sociais, o cãozinho já era conhecido pelas ruas da cidade de Paraí. A cidade, de pouco mais de 7 mil habitantes, abriga o mais novo fenômeno da internet, totalizando mais de 1,5 milhão de visualizações.


Uma fofura, não é mesmo! Quer ver o famoso vídeo? 
Disponibilizamos o link aqui 👉👉👉: https://goo.gl/bwQ1RE

Foto Reprodução/Facebook

  • Compartilhar:

1 comentários

  1. Realmente! Pituco é uma figurinha de contos, pois, apesar de sua deficiência demonstra que tudo é possível!

    ResponderExcluir