Piscina e pets, uma boa combinação?

segunda-feira, novembro 06, 2017


Com o aumento das temperaturas, não são apenas os seres humanos que possuem necessidade de se refrescar. Os animais, principalmente os de pelagem longa, também precisam driblar o calor. Uma opção para isso é um bom banho de piscina. Mas, para que essa atividade seja proveitosa e divertida, diversos cuidados são necessários.   

Primeiro, é bom deixar claro que nem todos os cães sabem nadar. Alguns sequer podem. Determinadas raças possuem limitações em sua estrutura física, podendo se afogar se não estiverem acompanhados do tutor. O famoso “nado cachorrinho” não é para todos os nossos amigos caninos.

O Blog da Toca separou algumas dicas pra você se refrescar com seu amigo de quatro patas:

  • Escolha a piscina certa. Normalmente, as piscinas contém uma quantidade de cloro que pode alterar o pelo do animal e fazer com que se desenvolvam alergias.
  • Se possível, entre com o pet na piscina, respeitando o ritmo do bichinho. Isso o deixa mais seguro de entrar na brincadeira.
  • Jamais o force a entrar. Se ele não quis se molhar por vontade própria, não insista.
  • Para ajudar o animal a sair da piscina, é indicado que se tenha uma escada própria.
  • Tente nunca deixar seu animalzinho sozinho na piscina. É fundamental que o tutor esteja sempre de olho no seu pet para alguma emergência, como cãibra ou afogamento.
  • Após o fim da brincadeira, deve-se tomar muito cuidado com as orelhas e ouvidos. Assim que o animal sair da piscina, eles devem ser completamente secos, evitando possíveis infecções. Uma dica é usar o secador de cabelos até a umidade ser retirada totalmente de seu corpo.
Depois das nossas dicas, tá esperando o que para ir se divertir com seu peludo na piscina?


  • Compartilhar:

0 comentários